Derrubando mitos sobre bebidas alcoólicas



cerveja

A Revista Superinteressante divulgou um artigo desvendando 7 dos mitos mais conhecidos sobre as bebidas alcoólicas. O Portal PGF tem a honra de mostrar para todos os nosso leitores para que possam se defender contra suas namoradas, mulheres, amigas, etc., que vivem perturbando as cabeças dos homens com argumentos (agora) falsos.

Segue a reportagem:

 

1. Cerveja dá “barriguinha”

O mito: Basta pensar durantes alguns segundos e a prova aparece em sua mente. Com certeza você conhece alguém com uma barriguinha saliente causada pelo excesso de álcool. Certo?

A verdade: A barriga de cerveja não existe. Ou melhor, aquela saliência abdominal pode não ter nada a ver com o consumo de cerveja. E isso quem diz é a ciência. Alguns pesquisadores se dedicaram a estudar o “fenômeno” e concluíram que a quantidade de cerveja que você bebe e o tamanho da sua barriga não têm nenhuma correlação direta.

Como a cerveja também contém calorias, é óbvio que uma pessoa que exagerar no consumo vai acabar tendo um aumento de peso. Mas, segundo os pesquisadores, esse ganho de peso não vai ser diferente do de uma pessoa que exagerar no consumo de bacon, por exemplo. Qualquer excesso de calorias leva a um aumento do peso.

 

2. Não existe cura para ressaca

O mito: Você já tentou de tudo. Da receita que sua vó indicou à mistureba mirabolante inventada pelo seu amigo. Mas nada funciona na hora de curar aquela maldita ressaca. A culpa não é só sua. Em 2005, o British Medical Journal divulgou um estudo que afirmava que cura para a ressaca não existia. E ponto final.

A verdade: A gente sabe que não é bem assim. É claro que ser moderado na hora de beber é uma ótima dica. Mas, de vez em quando, todo mundo mete o pé na jaca. E é aí que entra um salvador: o sanduíche de bacon. Também segundo uma pesquisa britânica, a combinação do pão com o bacon torna esse alimento uma ótima forma de combater a ressaca.

Isso porque o pão está cheio de carboidratos, enquanto o bacon tem bastante proteína, que no corpo será quebrada em aminoácidos. Eles são importantes porque ajudam a restaurar os neurotransmissores que a bebida te fez perder. E isso melhora muito aquele mal estar pós-bebedeira.

 

 3. Beber uma “saideira” ajuda a dormir

O mito: Relaxar bebendo antes de dormir só melhora o sono mais tarde. Por mais duro que tenha sido o seu dia, um bom drink antes de ir pra cama vai te fazer ter bons sonhos.

A verdade: Você vai acordar algumas horas mais tarde se sentindo… nada bem. Nas primeiras horas de sono, seu corpo vai estar ocupado metabolizando o álcool ingerido. E nesse momento, você pode mesmo cair em sono profundo e aproveitar. Mas só enquanto seu corpo estiver ocupado. Quando ele acabar suas ‘tarefas’, acredite, ele vai voltar as atenções para você. E vai estar bem irritado.

Nessas horas, você pode ter experiências agradáveis como pesadelos, roncos, dores de cabeça, problemas digestivos, sudorese intensa e, é claro, insônia. E só fica pior se você sofrer de apneia do sono. O álcool apenas piora essa condição, ao relaxar mais ainda os músculos da garganta, a ponto de que eles podem te fazer parar de respirar. Para sempre. Sim, aquela saideira pode ser mesmo fatal.

 

4. Beber café vai te deixar sóbrio

O mito: É uma cena clássica de filme: a pessoa caindo de bêbada, chega um amigo oferece uma xícara de café e, cinco minutos depois, o bêbado está calminho, todo sóbrio. Ah, se a vida real fosse assim fácil…

A verdade: O café é um estimulante. O álcool, por sua vez, é um depressivo. A ideia aqui é que, na briga pelo controle das funções do seu corpo, os estimulantes ganham fácil dos depressivos. Mas isso não tem nada a ver com ciência. O café não tem o poder de te deixar menos bêbado, ele apenas vai te deixar mais alerta. É, a realidade nem sempre é tão legal.

 

5. Tomar aspirina antes de beber previne a ressaca

O mito: Durante anos, as técnicas para previnir a ressaca foram evoluindo. A lista inclui todos os tipos de ‘truques’ que você pode imaginar. Um dos mais populares e atemporais é tomar uma ou duas aspirinas antes de consumir as bebidas. Outra teoria que passa longe da ciência.

A verdade: Para continuar combatendo a sua ressaca até a manhã seguinte, seria preciso uma aspirina mágica que os laboratórios ainda não inventaram. E mesmo se o truque funcionasse, o remédio faria efeito bem antes de raiar o dia.

Fica pior. Um estudo da American Medical Association descobriu que ingerir aspirina na verdade diminui a taxa de álcool metabolizado pelo seu corpo. Ou seja, não apenas ela aumenta os níveis de álcool no sangue, como também faz seus efeitos durarem mais. Então se você acorda melhor do que o normal porque tomou aspirina na noite anterior, provavelmente é porque você ainda está bêbado. E embora isso até pareça uma solução ideal agora, você vai mudar de ideia quando a ressaca atingir você no meio de uma manhã de trabalho.

Se você estiver interessado em previnir a ressaca, basta se hidratar bem. Tome uns copos d’água entre os bons drinks. Isso não vai impedir que a ressaca apareça, mas vai fazer com que seja mais fácil lidar com ela.

 

6. Beber te mantém aquecido

O mito: Com uma certa quantidade de álcool, todo mundo acha que fica mais inteligente. Na verdade, é exatamente o oposto e você sabe disso. Mas, o que você talvez não saiba é que com a temperatura do seu corpo acontece a mesma coisa. Você bebe e acha que está mais aquecido, mas isso não passa de uma enganação.

A verdade: Sim, você se sente mais quentinho e até ica vermelho quando bebe. Mas isso acontece porque o álcool causa a dilatação dos seus vasos sanguíneos. E isso traz o sangue para mais perto da superfície da sua pele, o que te faz sentir mais quente. Infelizmente, isso tem outra consequência. Com o sangue mais perto da superfície e, logo, mais longe do ‘centro’ do seu corpo, você está na verdade perdendo calor. Então, da próxima vez, não deixe o álcool te enganar e tente se esquentar de outra forma.

 

7. “Deixa ele dormir que é melhor”

O mito: A preguiça de ajudar os coleguinhas só ajuda esse mito a se espalhar. Basicamente, a teoria é que se alguém bebe até o ponto de desmaiar, a melhor opção é colocá-lo em uma cama e, magicamente, ele estará bem depois de um cochilo. Aham.

A verdade: Colocar o colega na cama depois de ter desmaiado é uma ideia fantástica, caso você esteja tentando matá-lo afogado em seu próprio vômito. E isso porque desmaiar e cair no sono não são a mesma coisa. Alguém que desmaia como resultado de uma intoxicação alcoólica dificilmente vai acordar pela necessidade de botar tudo pra fora.

Se isso acontecer e eles estiver deitado de costas, o vômito (sei que isso é nojento, mas lá vai…) acaba indo para o único lugar possível. Estamos falando dos pulmões. Então, o que fazer? Deite-o de lado e seja um bom amigo. Fique de olho para ver se a respiração está anormal ou se ele está vomitando. Nesses casos, chame ajuda.

 




Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/portalpg/public_html/wordpress/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1044